A Verdadeira Beleza está em VOCÊ!

Já vi muitas meninas de mais ou menos 20 anos reclamando de rugas, principalmente quando sorri, e muitas, muitas mulheres sofrendo com estrias, celulite, perder peso e seios pequenos.

Eu tenho 22 anos, engravidei aos 19 e com isso surgiram minhas primeiras estrias, na coxa. Eu passo óleo de coco + óleo essencial de tangerina cravo de noite no corpo todo, e de dia óleo de coco + óleo essencial de lavandim, mas em dias alternados. Também tomo banho de argila 2x por mês, e adoro jogar chás pelo corpo!

beleza natural2

Tudo isso amenizou um pouco as estrias, mas elas são cicatrizes e sempre estarão lá! Só que o resultado é muito além, minha pele mais aveludada e eu me sentindo melhor comigo mesma, mesmo com estrias, bunda flácida (pelo tanto que engordei na gestação e emagreci depois) e peitinhos pequenos caídos (por causa de 2 anos de amamentação). Sem falar nas “rugas” quando eu sorrio [também na foto!]. Tudo isso é o terror de muitas mulheres, não? Algumas devem até estar com pena de mim, ou desejando nunca engravidar, rss.

Na adolescência, antes de engravidar, posso dizer que tinha um corpo lindo, nenhuma estria, pouquíssimas celulites que eu nem sabia que tinha, bumbum firme (que eu achava flácido e caído por ter ouvido isso uma vez na adolescência), peitinhos firmes (que eu não gostava por serem pequenos de mais), barriga firme (que eu sempre achava que precisava ser menor), coxas grossas (única coisa que eu gostava mesmo haha). E eu me olhava no espelho e pensava “Eu me amo, mas…” e sempre pensava em algo que poderia melhorar, até pensava em algumas micro cirurgias só para dar um “up”. Eu achava que me amava, que gostava de mim como eu era, mas infelizmente não. Minha auto estima era super baixa e eu não sabia.

Hoje em dia, com estrias, “rugas”, peitinho caído e bumbum flácido, posso dizer de coração aberto que me amo muito mais! Me conheço mais. Olho no espelho e gosto do que vejo, porque eu me vejo nele! Ao invés de ver alguém que eu poderia ser. Isso prova que não é o “corpo ideal” que vai fazer você se sentir linda, porque esse corpo ideal não existe, o que vai fazer você se sentir linda é você mesma, uma mudança na mente e você se verá como nunca viu antes!

beleza natural1

Eu sempre falo coisas desse tipo nos posts do grupo Naturebismo no Facebook, onde as meninas querem “melhorar” algo do seu corpo, e acho que nada melhor do que me expor para vocês e mostrar que a beleza não é aquilo na capa da revista, na televisão. A beleza não é um peitão, cabelo liso e a cara maquiada. A beleza não é salto alto, cinturinha fina, corpo magro, nem nada do tipo!

Sabe o que é a beleza? É você!! Porque você é humana, você é de carne e osso, essas coisas que você chama de rugas, são linhas de expressão, vivências de só quem tem maturidade e experiência na vida! Não somos para sempre 15 anos, não somos para sempre peitos duros e “em pé”, não somos para sempre pele de bebê, nem para sempre salto alto. Não precisamos de maquiagem para sermos lindas, mas podemos usar se quisermos algo diferente às vezes, sabendo que somos lindas mesmo sem o “reboco”.

Agora um ponto importante a ressaltar sobre a vaidade! Ela é importante e essencial para nossa autoestima e até saúde mental. Quando nos arrumamos nos sentimos melhor, nos valorizamos. É importante passar creme no corpo, se perfumar, vestir o que gostamos. Mas nunca para “ficar melhor” ou “realçar” algo. Nada precisa ser realçado, entende? Ninguém no mundo é igual a você, você é uma joia preciosa, humana, de carne e osso, com uma linda história de vida! E isso não é papinho pra consolar “gente feia”, é a verdade! É que estamos tão bitolados com a “beleza inalcançável” que isso parece até besteira. Mas não é!

A beleza está estampada em cada um, e cabe a nós desconstruir essa “beleza inalcançável” para conseguir perceber a verdadeira beleza das pessoas e coisas, e até a nossa mesma.

Espero ter ajudado um pouquinho compartilhando meus pensamentos com vocês! Desculpa o textão, mas não saberia resumir mais, rss

Abraços e beijos,

Angélica L. Azambuja.

Anúncios

Hoje eu acordei inspirada!

Que delícia ter o privilégio de estar na minha casinha, acender meus incensos e tomar um cafezinho preto. Aqui tudo é muito simples, a começar pelos apoios que “eram” livros, rss, mas amo tudo com muito carinho!

Agradeço sempre ao universo, aos meus protetores, à natureza, à lua, ao sol… à VIDA! Agradeço por tudo o que tenho. Vou lá abraçar minha árvore e já volto, rss.

Eu sempre terei mais e menos do que alguém. Não quero servir de parâmetro para ninguém e nem me embasar em ninguém. Eu sou feliz com o que tenho, e mesmo que eu ganhe mais, isso não me fará mais ou menos feliz. O mais importante dessa vida é o AMOR.

Aprender que o amor tem várias faces, vários sabores, vários sentidos. Amor à família, amar o próximo, amar a si mesmo, amor ao planeta e à natureza. Quem ama cuida e quer bem.

A forma como eu amo cada um é diferente e ao mesmo tempo igual. O amor que sinto pela minha mãe é diferente do que sinto pelo meu pai, que é diferente do que sinto pela minha irmã, que também é diferente do que sinto pelo meu marido, e diferente do que sinto pelo meu filho, pelas minhas plantas, pelos meus cachorros, por mim mesma, etc.

O resto é tudo ilusão. Bens materiais são legais, nos possibilitam experiências interessantes. Mas são apenas isso, e na sua maioria são passageiros e ficam até enjoativos. Passar a vida atrás da casa ideal, do carro ideal, do trabalho ideal, da profissão de sucesso, do padrão de vida de sucesso… E depois que a vida passar será tarde de mais para perceber que tudo o que a gente precisa mesmo sempre esteve ao nosso alcance: o amor, amar ao próximo, amar os momentos da vida (mesmo os ruins e os bons, pois aprendemos em ambos!).

Se estamos imersos no sistema desse mundo temos que estudar, que batalhar, precisamos de dinheiro para sobreviver, para comprar comida, pagar as contas de luz e água. E se você tem internet, um celular, se você compra coisas no mercado, na feirinha, se você tem contas a pagar… sim, você está imerso no sistema assim como eu!

Está fora do sistema quem não depende em nada do governo. Quem tem sua própria fonte de água, sua própria fonte de luz, quem planta e cultiva seu próprio alimento. E para muitos é “quem não vive nesse mundo”.

Mas sabe que muitas vezes parece que nós, do sistema, é que não vivemos NESSE mundo.

Um planeta tão lindo, tão rico em materiais essenciais para nossa existência. A terra está aqui para todos, mas um grupo pequeno se apoderou de tudo e disse “Isso é meu e você precisa me pagar se quiser ter”. Mas quem deu essa autoridade para esse pequeno grupo? Ninguém, eles tomaram essa audácia. Como se não fosse o suficiente já estão vendendo pedaços de Marte, da Lua… De planetas que nem “nosso” são.

É muita audácia e pouca vergonha na cara!

Não sou muito de sair de casa, quando saio é um grande evento para mim, rss. Fui no centro esses dias e vi três famílias na rua, como mendigos, cada um em um canto do centro. Me parte o coração! A terra é abundante e tem tanto para dar, mas por causa da grande posse de poucos é que muitos sofrem. E meu marido já ficou desempregado duas vezes, e nessas duas vezes, por coincidência ou não, foram quatro meses de sofrimento.

Tem apenas dois meses que ele conseguiu um novo emprego, e nessa última vez ele ficou desempregado no início da crise de 2015. E mesmo com um currículo bom ele não conseguia emprego nem de garçom! Ele conta que iam pessoas de terno e gravata, com diplomas, para entrevistas que mal pagam um salário mínimo.

Muito triste!

Não foi falta de procurar emprego, não foi falta de estudo. Meu marido não conseguia emprego porque não tinham vagas, eram pessoas de mais para uma vaga só. E se não fossem meus pais e a mãe do meu marido – minha sogra Cida – teríamos passado fome de baixo da ponte. Quatro meses sem dinheiro para nada! Não teríamos como pagar aluguel, nem luz, nem água, nem internet, nem comida, nada. Meus pais não deixariam isso acontecer, mas muitos não tem essa mesma sorte.

Estaríamos na rua caso não tivéssemos quem nos ajudar. Estaríamos assim como aquelas famílias que vi no centro. Isso me parte o coração pois a maioria das pessoas tem preconceito com morador de rua, diz que não souberam aproveitar as oportunidades da vida, que não estudaram, que estão ali porque merecem. Essas pessoas acham que não correm o risco de parar nesse estado pois tem uma vida “estável”. Mas para esses eu aviso que tudo nesse mundo é ilusório, menos o amor.

Quando você ver um morador de rua e sentir um aperto no coração, não guarde esse sentimento para você. Vá lá e compre um salgado para a pessoa, dê seu casaco, dê até mesmo um abraço! Lembre que essa pessoa é um ser humano, isso é passageiro, tudo na vida é passageiro. Não importa o que a pessoa fará com aquilo que você deu, o importante é ela saber que existem pessoas boas no mundo, que ela ainda é importante e é amada mesmo por estranhos.

Isso muda a vida e forja o caráter de quem faz tal ação, de quem recebe tal ação e de quem assiste tal ação.

E é por isso e por outras que sou feliz com tudo o que tenho e o que não tenho. Pois na verdade tendo amor eu tenho tudo o que eu preciso. O resto a gente dá um jeito.

trabalhando2
Um pouquinho da minha manhã de hoje!

Não vim ser hipócrita nem despejar regras na vida dos outros, vim compartilhar resumidamente a forma como eu vejo a vida. Espero ajudar de alguma forma ao compartilhar um pouquinho do que penso com você, e que você guarde tudo o que lhe foi bom nessa mensagem!

Abraços meus amores; hoje eu acordei inspirada! rss

Angélica L. Azambuja

Minha Família é Perfeita!

Minha Família Perfeita! - Ilustração por Angélica L. Azambuja. Todos os direitos reservados!
Minha Família Perfeita!

 

Como é bom ter a certeza de que sua família estará lá! Hoje acordei da soneca da tarde (dormi sozinha, o Pedrinho preferiu ficar acordado com o papai) com as risadas do meu filho e marido e senti uma alegria e tranquilidade, senti que estava tudo certo!
Amo meu marido e filho, cada um de um jeito, e ao mesmo tempo tenho um amor diferente por essa junção que somos nós três, o qual chamam de família! Ter um filho me mostrou a grandeza e complexidade do amor. Não há regra para amar, é só amar e se permitir sentir o amor, seja do jeito que ele for.

No meio dessa reflexão, ainda despertando, veio o pensamento “Amo minha família, mesmo ela não sendo perfeita…” e interrompi, pareceu errado. Afinal o que seria uma família perfeita? Pai, mãe, dois filhos, todos felizes e dos dentes alinhados?
Rapidamente percebi que minha família é perfeita do jeito que ela é, e mais perfeita ainda por suas diferenças. É parecida com várias famílias, mas muito diferente de outras! De qualquer modo, são todos “família”, e são certos do seu jeito de ser. Isso é lindo e é legal!
Esquecer os padrões impostos e saber que família de filme é só em filme é o melhor a se fazer!
Todos os integrantes desta família possuem qualidades e defeitos. Temos momentos bons e ruins, alegres e tristes, concordamos e discordamos, etc. E essa é a minha família perfeita!
E você, me conte como é a sua família perfeita!

A Cama Compartilhada, o Casamento e o Sexo

Desta vez vim falar com vocês o que vivencio sobre a cama compartilhada e o casamento, afinal as perguntas são muitas e na maioria das vezes as mães deixam de ter cama compartilhada por medo de mimar a criança ou prejudicar o casamento.
A cama compartilhada é o termo usado para os filhos que dormem com os pais na mesma cama, ou em camas lado a lado. Infelizmente é um ato muito recriminado, apesar de muitas famílias fazerem uso deste método.
Pés do pai, filho e mãe sob a coberta e céu estrelado. Ilustrado por Angélica L. Azambuja. Todos os direitos reservados.

 

Sobre cama compartilhada mimar as crianças, isso é assunto para outro – longo – post! rss Vamos nos focar em como a cama compartilhada afeta o casamento.

Há muitos mitos sendo divulgados erroneamente sobre a cama compartilhada e como ela afeta o relacionamento da mãe e seu conjugue. Eu mesma achava que era algo errado e só me rendi pelo cansaço, tudo pelo medo das falsas informações disseminadas!
Muitas pessoas chegam a falar que a mãe que leva o filho pra cama está querendo fugir do marido, ou que faz cama compartilhada quem tem problemas no casamento, etc. Pode haver esses casos, – há bilhões de pessoas no mundo, rss – mas para a maioria não é nada disso!
As pessoas relacionam casamento bom = sexo regular = dormir juntos. Mas não é bem assim. Casamento não é feito só de sexo, tem muita coisa mais importante do que isto. E se você deixa de fazer cama compartilhada por medo de afetar sua vida sexual com seu conjugue, tenha certeza que ela já não está muito boa, afinal não existe só a cama para namorar!
E sinceramente, dormir junto é basicamente isso; deitar, dar boa noite ao parceiro, fechar os olhos e dormir. Namorar é bem diferente. Você pode namorar em qualquer lugar desde que não seja em público. Eu associo cama com sono e dormir. Para relações sexuais há muitas outras coisas, temos vários cômodos na casa, rss. Invente, renove.
A pior coisa que tem é aquele ser que fala “Mas fulana separou por causa da cama compartilhada!“. É preciso averiguar essa afirmação! Um casamento não se rompe por que dormem na mesma cama ou não, sempre haverá algo a mais, se fosse assim relações à distância não existiriam. Um casamento é uma relação solidificada, é preciso várias coisas para que se rompa. Então se a fulana se separou, a cama compartilhada é o último “vilão” da história. Há muitas coisas por trás que só quem vive na relação sabe.

Como eu aderi à Cama Compartilhada

Aqui não foi nada planejado, nós tínhamos o berço, acontece que não fluiu do meu filho ficar no berço. Ele odiava o berço e o refluxo oculto piorava tudo, então eu particularmente tenho uma ótima experiência com a cama compartilhada no primeiro ano de vida do meu filho, ela me permitiu descansar e vigiá-lo ao mesmo tempo.
Confesso que muitas vezes quis dormir sozinha, me esticar e ter meu próprio espaço, mas esses sentimentos sempre foram passageiros e só surgem quando estou esgotada! Eu gosto de dormir com o meu filho, e ele adora dormir comigo, então não há porque nos privar disto.

Considerações finais

Para não ficar muito extenso finalizo por aqui, mas se acharem que vale a pena continuar e desdobrar esse assunto me digam!
Resumindo; eu recomendo a cama compartilhada, principalmente no primeiro ano de vida da criança, ajuda a mãe a descansar. Não tenha medo de atrapalhar seu casamento se ele estiver bem, a cama compartilhada só separa quem já queria separar. Quem se ama e quer ficar junto – se dormir em quartos diferentes -, vai dar até saudadezinha e no meio da noite a mamãe pula pra cama do papai, rss.

 

Dicas para ter Sucesso em uma Reeducação Alimentar!

Por ter feito uma dieta super rígida sem industrializados, leite, ovo, soja, castanha, peixe, mamão, banana e seus respectivos derivados por 10 meses, tenho muita experiência e vários conselhos para quem deseja iniciar uma dieta rígida e consequentemente uma reeducação alimentar.

 

Antes de tudo é importante saber o motivo desta mudança alimentar.

  • Se for por despertar da consciência ou desejo de uma vida saudável.
  • Se for por estética (emagrecer ou engordar).
  • Se for por necessidade e risco de doença

 

Cada motivo lhe fará encarar a dieta de uma forma diferente. Eu, por exemplo, quando iniciei a dieta foi por necessidade, estava suspeitando de alergias alimentares no meu filho e caí na dieta de corpo e alma sem tempo para pensar!
Se o motivo não for por necessidade e doença, é preciso muita determinação! Pois o fator doença nos gera o medo, que é um ótimo motivador para se manter na dieta. Portanto se seus motivos para a reeducação alimentar forem estéticos, ser saudável ou politicamente correto… deixo avisado desde já que é um processo lento, não desista nos primeiros tropeços!

 

 

Substitutos

Ter uma boa alimentação ou restrição alimentar não é motivo para passar fome ou esquecer o seu paladar. Encontre substitutos para aquelas coisas que você sente que não consegue viver sem! Eu amava requeijão, margarina e doce de leite para passar no pão. E de repente me vi privada destas coisas (inclusive do pão francês!). Claro que eu sofri, mas fui atrás de alternativas e descobri um requeijão caseiro feito de mandioca, descobri que o azeite de oliva e orégano são maravilhosos e que o leite de coco e açúcar mascavo dão um belo doce caseiro!
São as mesmas coisas? Não! No começo estranhei, me adaptei. Um ano depois posso dizer que o que eu comia por obrigação hoje virou um prazer, um hábito! Hoje eu prefiro o azeite e orégano do que a margarina!

Reeduque sua mente

Tudo começa na nossa mente. A reeducação alimentar assusta pois nos tira da zona de conforto e mexe com toda a nossa vida. Facilita muito se você enxergar como um novo estilo de vida e estiver disposto a descobrir uma nova forma de viver, conhecer novos sabores, novas receitas, sair do “casulo”.
Não compare os alimentos, por exemplo um suco adoçado com melaço tem sabor diferenciado de um suco adoçado com açúcar refinado. Sempre que possível dê uma segunda chance ao alimento, pode ser que você provou com uma expectativa de ter um determinado sabor e ao não sentir esse sabor você diz que o alimento é ruim, sendo que na verdade ele é apenas diferente do que você conhece!

Pesquisar receitas

No início de uma reeducação alimentar as receitas são muito importantes pois nos dão uma direção. Se por exemplo você precisar retirar o glúten, ao ler várias receitas começará a entender como pães, tortas e bolos sem glúten funcionam.
Provavelmente os ingredientes usados nas novas receitas serão diferentes e alguns você nunca ouviu falar, por isso faça as compras, atualize sua dispensa! Não tem problema se as pessoas na sua casa comem coisas que você não pode, o problema está em você não ter o que comer! Não tem problema a geladeira ter comida pronta que você não pode, o problema está em não ter uma comida pronta que você pode!
Se constantemente você sente sem variedade ou até mesmo sem comida, é preciso urgente pesquisar e comprar alimentos diversificados que você pode comer e encontrar receitas bacanas.

Variedade de Receitas

Não fique na mesmice, aproveite a internet e aprenda vários tipos de receitas. As rápidas e práticas de fazer, as sofisticadas, as simples, as gourmet. Cada receita lhe será útil para cada ocasião, mesmo as que você ache impossíveis de fazer um dia, poderão acabar na sua cozinha.
Se sentir vontade de comer algo diferente, pesquise, será que existe essa receita? Se não existir, invente! Faça cozinhaterapia, rss, e depois compartilhe a nova receita com seus amigos.

Sempre tenha algo em mãos

A pior coisa que tem é estar com fome e não ter nada para comer, isso com certeza aumenta as chances de quebrar a dieta! Deixe em fácil alcance coisas nutritivas, como frutas, cereais, castanhas, etc. Se você sentir vontade de comer algo que não pode, encha sua barriguinha com coisas que você pode (mesmo que você não as ache tão gostosas quanto!). Depois de saciado a vontade passa, pois geralmente a vontade, principalmente por doces e carboidratos, é uma tentativa desesperada do corpo obter energia fácil!
Tenha sempre em mãos uma receita coringa, aquela rápida de fazer para não sair de casa com fome caso perca o horário. Vale a pena sempre deixar algo preparado, nem que seja congelado, eu costumo ter sempre um lanchinho à mão, odeio sentir fome!
Aqui a regra de ouro para não quebrar a dieta é sempre ter algo que possa comer por perto. Por isso a marmita é essencial sempre que sair de casa, mesmo que por pouco tempo. Imprevistos acontecem, a saidinha pode se estender, e ter uma maçã ou biscoito na bolsa ajuda muito!

Só por hoje

Conhece esse mantra? É muito mais fácil levar a vida (não apenas no quesito alimentar, mas em todos) no “só por hoje” do que pensar “terei que viver assim para sempre ou por mais não sei quantos anos”. Na realidade, sobre o tempo, tudo o que temos é o agora, portanto não vale a pena se chatear ou estressar pelo amanhã, viva o agora, mate um leão de cada vez. Saboreie mais um dia vivido, aprenda com mais uma queda; tudo no agora.

 

Caso queira receitas APLV, sem leite, soja e ovos, visite Meu Mundo APLV!