Chá de Folha de Acerola em uma Tarde Preguiçosa

Adoro chás e sempre tenho mania de pesquisar pelos benefícios dos chás conhecidos, como boldo e melissa por exemplo, mas nunca tive a ideia de fazer chá com o que nasce na minha terra. Então em um dia desses que está fresquinho e a gente acorda quase na hora do almoço, resolvi pesquisar se era possível fazer chá com as coisas que tenho no quintal.

E para minha alegria descobri que tenho chás preciosos na minha terra! Escolhi fazer um chá com as folhas da minha aceroleira, que é entre tantas coisas: rica em vitamina C (muito mais que laranja e limão), contém ferro, cálcio e fósforo, preserva as vitaminas no nosso corpo, fortalece o sistema imunológico sendo ótimo também para gripes e resfriados e problemas inflamatórios na gengiva.

Eu poderia ter feito um chá das folhas da minha goiabeira, que é um ótimo chá também, mas deixei esse para outro dia.

Lá fui eu inventar meu próprio chá. Se não for tóxico, gosto de chá forte. Receitas para quê? Hahaha. São folhas, então vai por infusão.

post001.jpg

Colhi as folhas e lavei, uma xícara de folhas mais ou menos, coloquei duas xícaras de água para ferver na minha panela esmaltada (uso somente para esses fins) e enquanto isso macerei as folhas da acerola em um pilãozinho de plástico. Esse pilão é muito ruim, eu tenho que criar vergonha e comprar um melhor!

post002.jpg

Enfim, assim que a água ferveu desliguei o fogo e adicionei as folhas com o caldinho que soltaram e tampei até amornar.

post003.jpg

Deve ter ido uns 20 minutos.

Enquanto esperava encontrei Pedrinho, meu filho, brincando na poça de chuva! Hahaha, coisa gostosa! Depois da brincadeira, banho e… o chá!

post005.jpg

Estava no ponto, coei e degustei um chá morninho, verdinho, cheirosinho. Com um sabor típico e leve gostinho mentolado ao fundo. Não tenho costume de adoçar chá e café, mas fica ao seu gosto.

post006

Até meu filho quis dar uma bitoca, rss.

post007.jpg

Bebi meu chá de folhas de acerola na tranquilidade do meu lar, com meu filho mamando ao peito e vários brinquedinhos dele pelo chão da sala.

post008.jpg

Não esquece de devolver para a terra o que é dela, heim! Adoce o chá depois de coar, e o que sobrar no coador jogue na natureza, pode ser um pedaço de terra na calçada, no chão do seu condomínio, perto de uma árvore, em uma terra solitária e infértil. Não vale chão de concreto, azulejo, etc. O mundo agradece!

E o almoço saiu mais tarde esse dia. Hmmm, que dia gostoso. Adoro diazinhos assim! E já parou para pensar se não tem chás interessantes pertinho de você?

Beijos, beijos;

Angélica Azambuja

Anúncios

Pão Sovado e Bolo de Milho Verde para nossa tarde em Família

Hoje, domingo do dia 27 de dezembro, meu vô e minha mãe vieram nos visitar. Aproveitei e fiz um pão sovado e um bolo de milho verde que mais parece uma pamonha assada para tomarmos um café gostoso de tarde!

O bolo e o pão não tinham leite nem ovos, e ninguém desconfiou, rss. Meu vô até pediu a receita! Estou muito feliz. Falei para ele sobre o site Meu Mundo APLV onde compartilho receitas sem leite com mães de alérgicos ao leite de vaca e foi muito legal.

21518_108587716184558_5559536747992769281_n
Pão Sovado e Bolo de Milho Verde para o café da tarde em família!

Vou deixar com vocês a receita do pão e do bolo! Tem muito mais em Meu Mundo APLV, caso se interessem em mais receitas sem leite, ovos, etc.

Pão Sovado Fofinho

  • 6 xícaras de farinha de trigo
  • 2 xícaras de água morna
  • 1 pacote de fermento em pó para pães
  • 2 pitadas de sal
  • 4 colheres de sopa de açúcar
  • 4 colheres de sopa de óleo

Mistura todos os secos, adicione o óleo e a água morna. Misture com a colher, quando não der mais, misture com as mãos e sove por 10 minutos (aproximadamente). Deixe a massa descansar até que dobre de tamanho. Então sove novamente por 5 minutos, modele em bolinhas e espere crescer. Enquanto isso ligue o forno em 200°.

Quando o forno estiver aquecido a massa estará maior, passe óleo por cima dá massa (com o dedo ou pincel culinário) e jogue açúcar cristal por cima. Leve para assar por no mínimo 30 minutos ou até que doure.

Bolo de Milho Verde

  • 5 espigas de milho (bem amarelinhas e granadas)
  • 100 ml de água ou o leite vegetal de sua preferência
  • 1 xícara de açúcar (de 200 ml) de sua preferência
  • 1 colher de óleo
  • 1/2 colher de café de sal

Retire os milhos da espiga com uma faca, coloque todos os ingredientes no liquidificador e bata. Coloque em uma forma untada com óleo e asse a 200º em forno pré aquecido até dourar. Esse bolo não cresce e tem gostinho de pamonha!

Espero que tenham gostado dessas receitas! Eu amo e tenho o costume de fazer aqui em casa.

Introdução Alimentar para um Bebê Alérgico Alimentar – APLV

Introdução Alimentar Bebê Alérgico APLV - Ilustrado por Angélica L. Azambuja. Todos os Direitos Reservados!

 

Para um bebê alérgico alimentar – seja aplv ou outra alergia – é preciso muito cuidado na hora da IA, pois a alergia alimentar é um problema genético, e pode vir a desenvolver outras alergias muito facilmente.
Não, meu filho não é alérgico a tudo, mas eu estou sempre atenta, pois ele (assim como todos nós) pode vir a desenvolver outras alergias. Então é importante que seja dado cada alimento separado para saber como ele reage com cada um deles.

A média recomendada são 4 dias testando cada alimento, mas para bebês que costumam ter reações muito tardias esse número pode aumentar para até 14 dias no mesmo alimento potencialmente alergênico.
Alimentos potencialmente alergênicos são aqueles que em sua própria natureza causam maiores índices de alergia, como por exemplo camarão, amendoim, leite de vaca, soja, ovo, etc, e também aqueles que os parentes e principalmente os pais, possuem alergia. Por exemplo, se o avô possui alergia a tomate, o tomate é um alimento potencialmente alergênico para o seu bebê.
Aqui em casa as reações são mistas, ou seja, algumas acontecem em torno de 2h, outras após 2 dias, mas nenhuma, até o momento, aconteceu na hora do contato com o alimento.
Não se enganem achando que se comeu papinha de banana no café da manhã e pela tarde está normal pode passar para outro alimento, as reações podem ser tardias e se manifestar de várias formas. Há sintomas na pele, no sistema respiratório, no sistema gastrointestinal, e por aí vai.

Os sucos!

É dito em muitos lugares que não se pode dar suco antes de 1 ano de idade, o motivo é pelo risco de desnutrição, desmame precoce e diabetes infantil. As frutas possuem o açúcar próprio, que é a frutose, e as frutas em forma de suco perdem a maioria das fibras, e estas fazem com que o açúcar entre no corpo lentamente, sem fibras o açúcar é “sugado” muito depressa. Um suco aqui, outro ali, não faz mal, o problema é dar suco todos os dias, em todas as refeições.
Desnutrição por suco? Pois é, o estomago dos bebês é pequeno, e os sucos não chegam aos pés do leite materno, encher o estomago de seu filho com suco é muito desvantajoso nutricionalmente. E o desmame precoce pode acontecer também por nossos pequenos estarem sempre de estomago cheio de suco e não ter espaço para o leitinho da mamãe.
Mas não fui radical, meu radicalismo aqui é com as alergias, rss. Então suco aqui em casa pode sim, de vez em quando.

 

 

Esquema de IA

Esse esquema eu retirei do grupo do facebook no qual participo, o Meu Filho é Alérgico a Leite, escrito por Michely Miguelote.

Não esqueça! Sempre o mesmo alimento por 4 dias, e só então passar para o próximo. Os primeiros cozinhar apenas na água, nada de sal ou temperos. No caso eu uso o método BLW junto com a papinha, ou seja, dou o alimento cozido em cubos ou palitos para meu bebê pegar e brincar com o alimento, e depois amasso e dou em forma de papinha.
6 mês – SOMENTE ALMOÇO
Chuchu
Chuchu + abobrinha
Chuchu + abobrinha + arroz
Chuchu + abobrinha + arroz + cenoura (obs: a cenoura cozida pode constipar um pouco, é muito bom colocar um mínimo).
Chuchu + abobrinha + arroz + cenoura + inhame
Chuchu ou abobrinha + arroz + cenoura + inhame + 1 colher á café de azeite de oliva (gallo, borges ou o que for limpo).
Chuchu ou abobrinha + arroz + cenoura + inhame + azeite + mandioquinha

 

7 mês – SOMENTE ALMOÇO
Chuchu ou abobrinha + arroz + cenoura ou beterraba + mandioquinha ou inhame + azeite + caldo de frango ou rã por 7 dias.
Chuchu ou abobrinha + arroz + cenoura ou beterraba + mandioquinha ou inhame + azeite + de carne de frango ou rã por 7 dias (após a introdução da proteína faça exames de fezes).
Ao final da introdução da proteína animal pode-se começar o jantar.

 

8 mês – ALMOÇO E JANTAR
Chuchu ou abobrinha + arroz + cenoura ou beterraba + mandioquinha ou inhame + azeite + carne de frango ou rã + milho (pode ser o fubá limpo ou a espiga, no meu caso optei pela espiga organica).
Chuchu ou abobrinha + arroz + cenoura ou beterraba + mandioquinha ou inhame + azeite + carne de frango ou rã + milho + brócolis ou couve-flor
Chuchu ou abobrinha + arroz + cenoura ou beterraba + azeite + carne de frango ou rã + milho + brócolis ou couve-flor + mandioca.(Após a introdução da mandioca pode-se introduzir o polvilho)

 

9 mês – ALMOÇO, JANTAR E (1 )LANCHE
Chuchu ou abobrinha + arroz + cenoura ou beterraba + azeite + carne de frango ou rã + milho + brócolis ou couve-flor + mandioca + pêra cozida
Chuchu ou abobrinha + arroz + cenoura ou beterraba + azeite + carne de frango ou rã + milho + brócolis ou couve-flor + mandioca + maçã, pêra ou banana (prata) cozida.
Chuchu ou abobrinha + arroz + cenoura ou beterraba + azeite + carne de frango ou rã + milho + mandioca + Couve-manteiga ou espinafre + maçã, pêra ou banana (prata) cozida.
Pode-se tentar ainda: mamão, manga, pessego branco, melão e melancia, obviamente sem cozinhar.

 

Alimentos como ovo, trigo, glúten e frutas cítricas é recomendável só depois de um ano. Leite animal só depois dos 2 anos. Feijão e carne de vaca a partir dos 9 meses se a mãe amamenta e come esses alimentos, caso contrário, só depois de 1 ano também.
Bom, eu segui esse esquema a risca até o 7º mês, e depois fui adaptando com o que tenho em casa, já que muitos alimentos na lista não fazem parte do meu costume comer, e nem são acessíveis no local onde moro. E o frango, aqui em casa só podia o caipira, pois os industrializados contém hormônio de soja, e meu bebê é alérgico a soja também.

Uma coisa muito importante ressaltar, é que os bebês aceitam sopas e papas trituradas muito bem, mas isso é um perigo! Já vi muitas mães nos grupos desesperadas por seus filhos de 2 anos terem pavor e ânsia de comida amassada, só comerem papas. Nada de liquidificador, triturador, passar na peneira, etc.

Essas são minhas dicas! Já passei por isso, posso dizer que foi muito assustador e gostoso ao mesmo tempo, rss. Espero que lhe ajude e não esqueçam de se divertir e curtir os momentos com seus pequenos!

Deliciosas Receitas de Mingau Sem Leite – Para APLV, Intolerante a Lactose e Veganos

 

Deliciosas Receitas de Mingau Sem Leite - Para APLV, Intolerante a Lactose e Veganos. Ilustração por Angélica L. Azambuja - Todos os direitos reservados.
Separei as melhores receitas de mingau sem leite, nos mais variados sabores!
Para substituir o açúcar você pode adoçar com frutas maduras amassadas, mel ou frutas secas adicionadas ao mingau morno depois de pronto.

Mingau de Aveia Tradicional

Ingredientes
  • 3 colheres de sopa de aveia (farinha de aveia se preferir)
  • 250ml de água
  • adoce como preferir
Coloque a aveia e um pouco de água, misture bem para não empelotar, coloque o restante da água e leve ao fogo mexendo sempre até engrossar. No recipiente que servir deixe uma banana amassada ou maçã ralada e misture ao mingau ainda morno.

Mingau de Aveia Delícia

Ingredientes
  • 1 banana prata madura
  • 2 colheres de sopa de aveia em flocos
  • 2 colheres de sopa de água
  • 2 colheres de sopa de leite de coco
  • 1 colher de chá de mel
Bata todos os ingredientes no liquidificador, leve ao fogo mexendo sempre até engrossar e sirva morno.

Mingau de Maisena

Ingredientes
  • 2 xícaras de leite vegetal
  • 3 colheres de sopa de amido de milho
  • adoce como preferir
Dissolva o amido de milho em um pouquinho de água ou leite vegetal antes para não empelotar. Leve ao fogo o amido dissolvido e o restante do leite vegetal mexendo sempre até engrossar. Sirva morno.

Mingau de Arroz Integral

Ingredientes
  • 200ml de água ou leite de coco
  • 150g de arroz integral (ou branco)
  • canela
  • adoce como preferir
Cozinhe o arroz integral na água com canela até amaciar, escorra a água e bata no liquidificador o arroz cozido com os outros ingredientes, leve ao fogo para aquecer caso esteja frio.

Mingau de Batata Doce

Ingredientes
  • 100g de batata doce bem cozida
  • 200ml de leite de coco ou água
  • adoce como preferir
Bata tudo no liquidificador, leve ao fogo mexendo sempre até engrossar.

Mingau de Cacau

Ingredientes
  • 2 xícaras de leite vegetal
  • 3 colheres de sopa de amido de milho
  • 1 colher de sopa de cacau em pó
  • adoce como preferir
Dissolva o amido de milho em um pouquinho de água ou leite vegetal antes para não empelotar. Leve ao fogo o amido dissolvido, o restante do leite vegetal e o cacau mexendo sempre até engrossar. Sirva morno.

Mingau de Milho Verde

Ingredientes
  • 1 lata de milho verde
  • 200ml de leite de coco (ou água)
  • adoce como preferir
Bata os ingredientes no liquidificador, leve ao fogo até engrossar mexendo sempre.

Mingau de Fubá

Ingredientes
  • 1 xícara de leite de coco ou outro leite vegetal de sua preferência
  • 2 colheres de sopa de fubá mimoso
  • 1 pitada de sal
  • adoce como preferir
Dissolva o fubá mimoso em um pouco de leite vegetal para não empelotar, adicione o restante dos ingredientes, leve em fogo alto, quando começa a borbulha abaixe o fogo e deixe cozinhar por uns 10 minutos, mexendo sempre. Sirva morno.

Dicas

  • A maioria dos mingaus fica muito gostoso polvilhar canela em pó por cima depois de servido.
  • As bordas esfriam mais rápido que o meio.
  • Enquanto cozinha, alguns mingaus podem parecer moles, mas ao esfriar encorpam, cuidado para não passar do ponto e ficar massudo.
  • Depois de cozido, espere ficar morno e você pode adicionar uma porção da fórmula especial (leite hidrolisado) ao mingau pois essas fórmulas não podem ser fervidas.
  • Use frutas secas, amêndoas, nozes ou frutas maduras amassadas no lugar do açúcar para adoçar.
  • Se adoçar com mel ou frutas, adicione depois de pronto ainda morno, para não alterar o sabor.
  • Invente adicionando coco ralado, castanhas, amendoim, morangos; essências de baunilha, coco, etc.

 

Minha assinatura. Ilustração por Angélica L. Azambuja - Todos os direitos reservados.

 

Bibliografia

Receitas retiradas de:

Receita Fácil de Cueca Virada Sem Leite Divina! – APLV e Intolerante a Lactose

Cueca Virada Delícia para APLV e Intolerante a Lactose!
Cueca Virada Delícia para APLV e Intolerante a Lactose!

 

Aproveitando que estamos reintroduzindo o ovo aqui em casa, resolvi fazer essa Cueca Virada que tem gostinho de infância! Ô delícia!

Eu lembro do meu pai sovando a massa, eu e minha irmã brincando com um pedaço a parte e minha mãe fritando enquanto ele ia enrolando mais, rss. Depois a gente sentava na sala com a lareira acesa e comíamos com café com leite ou leite e achocolatado. Ótimas lembranças!
Não tem erro, é super fácil de fazer, eu nunca tinha feito (só via meus pais fazerem) e ficou igualzinho! Eu não sei como fica sem o ovo, se alguém fizer me diz como ficou e o que usou no lugar, pode ajudar outras pessoas que não podem/querem ovos!

INGREDIENTES

  • 2 xícaras de farinha
  • 3/4 xícara de açúcar
  • 1 colher de sopa de fermento para bolos Royal
  • 1 colher de sopa de óleo
  • 1 ovo

 

Em um recipiente grande, coloque os ingredientes secos, misture, adicione o óleo e o ovo, misture – ficará uma farofa – coloque *água aos pouco mexendo com uma colher e quando não conseguir mais mexer leve para a bancada e sove, enfarinhando a bancada e as mãos para que a massa não grude.
*Atenção com a água, é bem pouco, menos de meia xícara!
Quando a massa estiver homogênea e não grudar mais, com a ajuda de um rolo de macarrão ou garrafa vazia, estique a massa, corte em retângulos, faça um corte no centro e passe uma ponta por dentro dessa abertura, assim ficará no formato a ser frito ou assado!
Se você prefere crocante estique a massa bem fininha, se você prefere fofinha deixe mais grossinha. Faça uma mistura de açúcar e canela em pó, e passe as cuecas viradas ainda quente nessa mistura, assim grudará e ficará uma delícia!
É só fritar em óleo quente! Essas da foto eu fiz mais grossinhas pois são minhas preferidas!
Bom apetiteee!